Origem Portuguesa

Portugal pela sua geografia singular situada entre montanhas que respiram o ar do atlântico de um lado e do mediterrâneo do outro resulta em microclimas muito especiais para as nossas produções agrícolas. Vinhos, azeites, charcutarias são algumas das produções únicas no mundo cujos sabores só poderiam ser resultado desta combinação de fatores geográficos e climatéricos..

Vinhos

Douro

É a mais antiga região demarcada de vinhos do mundo. Foi classificada em 1756 de forma a garantir a qualidade e autenticidade dos vinhos desta região. O vale do Douro é propício a criar vinhos robustos de taninos bem presentes. Os vinhos do Douro têm uma grande complexidade de sabores fruto da mistura de várias castas.
Como beber: Os tintos robustos resultam bem com caça e carnes. Combinam bem com carnes estufadas, e melhor ainda quando fazem parte da lista de ingredientes. São bons pares para queijos.

Alentejo

Os Verões quentes do Alentejo auxiliam o amadurecimento das uvas dando origem a vinhos bastante frutados. Os tintos alentejanos são feitos de uma grande variedade de castas, incluindo Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet, Syrah, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon.
Como beber: Estes são vinhos muito versáteis. Podem ser consumidos durante todo o ano e harmonizam na perfeição com uma grande variedade de pratos, desde aves, carnes vermelhas e queijos.

Demarcados

Vinho do Porto:
– As vinhas do Douro são feitas em socalcos, ao longo do rio Douro e afluentes, criando uma paisagem reconhecida pela UNESCO como Património da Humanidade. As casas centenárias que iniciaram a comercialização deste vinho mantém toda a sua história ao longo de séculos de tradição. Hoje fizeram desta zona do país uma referência para o turismo vinícola mundial.
Como beber: Excelente como aperitivo ou no final da refeição, a acompanhar um queijo ou sobremesa.
Península de Setúbal:
– As históricas vinhas com Denominação de Origem Protegida (DOP) de Setúbal (demarcadas há mais de 100 anos) estendem-se ao longo de 15 quilómetros da cidade de Setúbal, nas colinas de calcário do belíssimo Parque Natural da Serra da Arrábida, onde crescem as melhores uvas Moscatel.
Como beber: Os aromas citrinos, flores e uvas do vinho Moscatel são parceiros perfeitos para sobremesas e pudins. Também combinam na perfeição com café, chocolate, avelãs, amêndoas e os doces com ovos e açúcar em que a doçaria conventual portuguesa é rainha. Uma delícia se juntar uma “vizinha” Torta de Azeitão.
Vinho Verde: 
– Exclusivamente produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, no noroeste de Portugal, é produzido somente a partir das castas autóctones da região, preservando as suas características de aromas e sabores inconfundíveis.
Como beber: Leves e harmoniosos, ideais para acompanhar marisco, peixe e refeições leves. Devem ser consumidos bastante frescos.
Vinho da Madeira:
– É um vinho fortificado, com elevado teor alcoólico, produzido nas encostas e adegas da Região Demarcada da Ilha da Madeira. O Madeira varia em doçura desde a categoria Seco até à Doce e é hoje um símbolo da Madeira em todo o Mundo.
Como beber: Especialmente adequado a horas festivais e de convívio, funciona na perfeição como aperitivo ou digestivo. Idealmente acompanhado por um queijo ou frutos secos.

Azeite

Considerado por muitos como o melhor azeite do Mundo, o azeite virgem português conserva o sabor, o aroma, as vitaminas, os antioxidantes, sendo a única gordura vegetal que pode ser consumida virgem e crua.

Estudos realizados provaram que países onde a dieta é tradicionalmente rica em azeite, como a que se verifica nos povos mediterrâneos, têm uma incidência muito menor de doenças cardiovasculares.

Azeitona

 A coloração da azeitona varia do verde aos tons acinzentados, dourado, castanho-claro, roxo ou preto. Quanto mais escuro, mais tempo o fruto maturou no pé. Pode ser consumida como aperitivo ou adicionada a pratos como carnes, massas, saladas, etc.

Em Portugal existem diversos tipos de azeitona, sendo a Galega a mais comum, uma variedade exclusivamente portuguesa.